domingo, 28 de junho de 2009

Dos abraços

Bons, mas mesmo bons, foram dois dos abraços que recebi ontem. Um deles, de uma vizinha aqui do lado, que finalmente nos conhecemos pessoalmente naquilo que foi um blind date muito sui generis. Que serenidade e boa disposição!
O outro, de uma amiga que, por mal-entendidos, julguei que tivesse perdido. Estes abraços valerem pelo mundo.

5 comentários:

Adão disse...

Concordo. São essas situações a que devemos dar (muito) valor. Porque colocam certas situações a um canto.

teresa disse...

Num domingo de completo ócio, uma amiga enviou-me um daqueles questionários silly ao qual lhe respondi de imediato, pois percebi que a família estava fora há 2 dias e era forma de dizer "hello, vi que estás aí, mas sei que tens trabalhos dos alunos para corrigir". Uma das perguntas era: "preferes ser saudado(a) com beijos ou abraços?"A resposta que me ocorreu de imediato foi:"nunca tinha pensado nisso, mas os abraços parecem ser sempre sinceros e espontâneos, os beijos, por vezes, podem ser 'de Judas'":)

Carlota disse...

Pedro, já alguns dias que não passava por aqui... Estava-se tão bem na costa vicentina :D (quero mais!!!)

mas falando em abraços, dos bons e dos melhores...
Recebi (e também dei :)) ontem a um amigo que já não via desde que saí de Santarém... As saudades afogadas num terno e doce abraço, é do melhor que há!
Sente-se na pele um abraço sincero!

Beijinho

Pedro disse...

Adão: era impossível não lhes dar valor! Abraços que nos aquecem.

Teresa: o beijo é demasiado social, mesmo fazendo distinção entre um e dois beijos (não vamos sequer por aí). No abraço há partilha, os corações encontram-se e escutam-se mutuamente.


Carlota: é mesmo impossível ser-se abraçado sem se abraçar também! (espero que as férias tenham sido boas!)

Carlota disse...

Pedro, impossível não é, garanto-te que já fui abraçada e não abraçei...
Só dou abraços dos bons a quem gosto!!! Sim e só dos bons, porque abraços "meia-leca" não dou (não faz bem à saúde!!!) ;) lol

Beijoca