terça-feira, 13 de maio de 2014

Não, não casei

Ontem foi um dos dias mais felizes da minha vida  - desculpem lá esfregar isto nas vossas caras, até porque isso não significa que tenha uma vida de conto de fadas, que não tenho, mas como na vida de qualquer pessoa, há dias melhores que outros. Encerrei um capítulo da minha vida que se prolongava há bastante tempo, tempo demais, que teve repercussões em todas as outras áreas da minha vida, na maior parte das vezes negativamente. Foi reconhecido publicamente todo o trabalho que tive durante todo esse tempo, de forma pública, e exaltado todo o mérito que esse trabalho representa. Quando não estamos habituados a elogios - por as pessoas serem habitualmente parcas em fazê-los, por feitio ou sabe-se lá Deus porquê - isto sabe, efectivamente, muito bem. Mas, provavelmente mais importante do que o fim desta etapa e o reconhecimento desse mérito, foi sentir o amor das pessoas que me rodeavam - carinho, amizade, seja o que queiram chamar. Não que desconhecesse a sua existência, mas mais uma vez devemos fazer esforços para o demonstrar - é efectivamente isso que levamos desta vida.


5 comentários:

Um Jeito Manso disse...

Então, muitos Parabéns. Não elogio porque não conheço o seu trabalho mas fico contento que o tenham reconhecido e que tenham demonstrado a estima que sentem por si.

E que assim, motivado e rodeado por afecto, continue a sentir-se!

Amelia disse...

Parabéns :D

Rainha Ervilha disse...

Muitos parabéns. Capítulos negativos são sempre bem encerrados. Reconhecimento merecido é sempre bem recebido. E ambos fazem bem à alma ( e nos fazem mais felizes )

Anónimo disse...

Hum...Diria que defendeu o Doutoramento... Foi? :)

Ana

Pedro disse...

Obrigado!

(foi sim, Ana)