quinta-feira, 27 de março de 2008

La Bayadère

E porque tinha de partilhar convosco, um dos meus ballets preferidos: La Bayadère, de Ludwing Minkus, coreografado por Petipa.

Apesar de ser pouco divulgado na Europa Ocidental, faz parte do reportório de qualquer companhia de Leste (soa um pouco a terminologia Guerra Fria, mas não me ocorre nada melhor - adiante!).

É a história de uma bailadeira hindu, ou seja, uma espécie de sacerdotiza, cuja função é dançar para o Deus do templo ao qual pertence, de seu nome Nikiya, e do guerreiro Solor. Estão ambos enamorados um pelo outro, mas tinha de vir alguém para estragar tudo - o grande Brâmane está apaixonado por Nikiya e Solor é prometido pelo Rajá a sua filha, Gamzatti.

E estão lançados os ingredientes essenciais para o desenrolar da trama.

Para já, queria deixar-vos apenas com este trecho, um dos meus preferidos - O Reino das Sombras. Aqui, na versão de Nureyev, com a Ópera de Paris, 1992.

1 comentário:

Débora disse...

esse ballet ta mto chatu





ass:
Déb =D