quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Acreditar

É quando nos sentamos a fazer relatórios e planificações e percebemos que falta tão pouco tempo para mostrar os resultados finais e que tudo depende de nós, que sabemos o que é o pânico. E e o quanto somos pequenos. Mas depois lembramo-nos de David e Golias e achamos que talvez sejamos capazes. Porque já passámos por isto, em tempos passados e na altura também achámos que estariamos a fazer omeletas sem ovos. E também sabemos que os grandes soufflés se fazem de poucos ovos.

Elisabeth Schwarzkopf - Im Abendrot

(Richard Strauss - Vier letzte Lieder)
("Evening") (Text: Joseph von Eichendorff)


Wir sind durch Not und Freude
gegangen Hand in Hand;
vom Wandern ruhen wir
nun überm stillen Land.


Rings sich die Täler neigen,
es dunkelt schon die Luft.
Zwei Lerchen nur noch steigen
nachträumend in den Duft.


Tritt her und laß sie schwirren,
bald ist es Schlafenszeit.
Daß wir uns nicht verirren
in dieser Einsamkeit.


O weiter, stiller Friede!
So tief im Abendrot.
Wie sind wir wandermüde--
Ist dies etwa der Tod?


We have gone through sorrow and joy
hand in hand;
Now we can rest from our wandering
above the quiet land.


Around us, the valleys bow;
the air is growing darker.
Just two skylarks soar upwards
dreamily into the fragrant air.


Come close to me, and let them flutter.
Soon it will be time for sleep.
Let us not lose our way
in this solitude.


O vast, tranquil peace,
so deep at sunset!
How weary we are of wandering--
Is this perhaps death?

6 comentários:

Margarida disse...

Primeiras!!!!

[boa sorte... e força]

;)

Noiva Judia disse...

É tudo uma questão de saber fazer render os recursos.

Adão disse...

São essas alturas que nos dizem, se estamos preparados para o desafio... ou não! :P

CoRa disse...

Cada vez mais adoro teus pensamentos, Pedro. É assim que se diz! Vamos lá!!

Miguel Barroso disse...

Penso que sim, o bom soufflé faz-se até sem ovos.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Pedro disse...

Obrigado!