terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Desculpas

Não me venham com desculpas. Apresentem-me quem não padeça ou tenha padecido de carências afectivas (por mais feliz que tenha sido a sua infância). E aí calar-me-ei.

10 comentários:

Margarida disse...

Queres desenvolver, Mr. Enigmático?

JS disse...

Eu despenteava o cabelo para sentir a mão da minha mãe na minha cabeça.

Noiva Judia disse...

Acho que é inerente ao ser humano... mais cedo ou mais tarde, a dada altura, todos nos sentimos carentes. E eu tive uma infância bastante feliz. Foi até a época mais feliz da minha vida.

CoRa disse...

eu me colocava ENTRE o jornal e o meu pai pra ele me dar ouvidos... Fui virar jornalista...lol será por isso?

Formiguita Bipolar disse...

Eu sempre tive as minhas mas, para responder à tua pergunta, conheço uma boa mão cheia de pessoas que desconfio não terem tido nenhumas (pelo menos não na infância).

:)

Adão disse...

Eu podia dizer que nunca padeci... mas era logo apanhado na mentira (LOL) Portanto... acho que é bom sinal... quer dizer que és humano :PPPPP

ana disse...

Concordo contigo, embora considere que há poucas pessoas que são gente quando não foram olhadas, e sentidas, como gente em criança.

Pedro disse...

Margarida: talvez um dia destes.

JS: é uma bela imagem, mas muito triste.

Noiva Judia: eu digo o mesmo de mim.

CoRa: na volta...

Formiguita: é melhor desconfiar!

Adão: faz parte, não pode é servir de desculpa para nada.

Ana: mas se calhar o inverso também é verdade. De qualquer das formas, o afecto nunca é demais.

ric@rdo disse...

Lugar mais que comum.

Pedro disse...

Exactamente por ser um lugar comum é que não percebo porque se escudam nele.