segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Das confianças

Acabaram de me chamar Pedrocas no meu lugar de trabalho. E nem sequer somos colegas. Mas que confianças são estas?

8 comentários:

Patrícia disse...

Realmente...chamar alguém de Pedrocas é cá de um mau gosto!:D

Há formas familiares muito mais fofas!

Carrie disse...

É um pessimo habito que algumas pessoas têm, o de introduzir excesso de confiança onde não a há...o problema é reconquistar a distância profissional para terminar com essas situações e para tudo o resto.

Também gosto muito do diminutivos, como inha, ou ita, ou minha querida, ou ainda...lindinha...

ugh!

Tu impõe-te!!

Marca a tua posição e trata essa pessoa pelo titulo academico ou por você SEMPRE.

Maria do Consultório disse...

Ou então é só o amorrrr!

Van Dog disse...

Se fosse a ti tentava arranjar um diminuitivo mais neutro. Como é o caso de "Van"... ;)

Pedro disse...

Patrícia: eu não quero ser familiar de ninguém ;)

Carrie: a questão é que não trato a pessoa em questão de outra forma senão com muito distanciamento. Está visto é que não posso mostrar os dentes!

Maria do Consultório: olha que não me admirava! Já houve quem dissesse o mesmo! (mas deve tratar todos assim...)

Van Dog: eu até nem me importo de Pedrocas, a questão é a falta de confiança para isso.

Maria Manuela disse...

E Pedrinho, não ????

Há gente que é muito dada à intimidade. Que nojooooooo.

:)

Adão disse...

Talvez... "Pedrão" era mais a gosto? hum? hum?

Pedro disse...

Eu não me importo que me tratem por alcunhas. Nem, nem todas... Aqui a questão é mesmo quem nos pode tratar assim e quem não