terça-feira, 8 de setembro de 2009

E a tua mãe também

Eu sempre fui de sonhar bastante, embora nem sempre me lembre dos sonhos. Mas Setembro é um mês particularmente fértil em sonhos, pelo menos para mim.
A semana passada foi a queridíssima Monserrat Caballé que foi almoçar lá a casa. Quer dizer, a casa dos pais. Vi-a passear-se à porta de casa e no dia seguinte lá estava eu batido à porta de casa, à mesma hora para a convidar. E não é que aceitou? Realmente a televisão engorda bastante, só vos digo. E uma simpatia que só vista.
Esta noite já não foi tão agradável. Aliás, este é um sonho recorrente meu. Sonhar que ainda estudo no Liceu (onde isso já vai...) e que tenho ainda um monte de cadeiras (na altura dizia-se disciplinas) para fazer. E que ia ter teste de francês, filosofia e, pasme-se, expressão dramática, coisa que nunca tive e nem nunca quis ser actor (vá, uma vez preguei essa peta aos meus pais só para ver qual seria a reacção, mas como foi a melhor possível, perdeu logo a graça).
Agora expliquem-me como é possível, passados tantos anos, depois de tudo feito (e até com boas notas), o meu cérebro achar que ainda tenho cadeiras para fazer?
Bem, obviamente que hoje só poderia colocar a gorda como banda sonora. E como estou numa de música espanhola até à minha ida para Granada (e se estou a falar nisto não é para suscitar invejas, mas é para me convencer a ultrapassar o trauma de ter de viajar sozinho, que não é fácil para mim), fiquemos com um dueto, com a filha, Monserrat Marti, na zarzuela Chorizos y polacos, composta por Francisco Asenjo Barbieri.

5 comentários:

Patrícia disse...

Eu também sou pessoa de sonhar muito,mas os pesadelos,são em maior numero que os sonhos...e o mês de Setembro...não anda fácil,apesar de ser engraçado , criar os seus próprios filmes de terror de vez em quando!

ana disse...

Viajar sozinho pode ser agradável.

Adão disse...

Mas afinal, o que queria dizer o sonho? Houve interpretações?

mjoaob disse...

Também me acontecia, sonhar que me faltavam fazer cadeiras na universidade. E já tinha acabado o curso há uns 2 ou 3 anos. Depois estes sonhos passaram. Nunca percebi porquê...

Pedro disse...

Patrícia: há sonhos que preferia não ter de facto.

Ana: vamos ver como corre, vai ser a primeira vez. Mas que tenho medo, tenho. :)

Adão: não faço a mínima ideia...

mjoaob: pois, somos dois! Mas ao menos sei que não sou só eu! (mas a mim ainda não passaram... :s)