quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

A single man


Vi ontem A single man. Não pretendo alongar-me demasiado acerca das impressões que me deixou o filme, que foca um tema que é particularmente dolorosa – a viuvez. Se exceptuarmos a perda de um filho e por muito terrível que seja a morte dos pais, a viuvez deve ser de uma violência atroz. Quer quando as pessoas são novas – ainda tinha um futuro para viver – quer quando são velhas – não é na velhice que precimos ainda mais de afuguentar a solidão?
É precisamente o discurso de Kenny (demasiado Tommy Hilfiger, não?) no bar que é absolutamente arrebatador. O nascer e o morrer sós e nunca verdadeiramente apreender o outro. Na verdade, o que estarei eu a fazer enquanto lêem este texto?
Um Colin Firth muito Victor & Rolf, uma Julianne Moore a a fazer de Julianne Moore (vá, um pouco mais alegre do que habitualmente, mas ainda assim à beira de um ataque de nervos), em cenários demasiado aprumadinhos. Talvez por não ser a perfeição que traz a felicidade, verdade?
Mas não era nada disto que gostaria de salientar. Apenas 2 pormenores.
Charley fumava Sobranie Cocktail. Cigarrros esses que a R. (não a mesma de posts anteriores), costumava trazer das férias passadas em Espanha. Filtro dourado, papel em lilás (como os do filme), cor-de-rosa, verde ou cor-de-laranja, se a memória não me falha. Não sei se ainda existem e se os há cá em Portugal. E que parecenças entre a R. e Charley. Não é difícil encontrar mulheres perdidamente apaixonadas pelo homem errado que nunca as vão amar como gostariam.



Ebben? Ne andrò lontana, foi a ária escolhida para fazer parte da banda sonora deste filme, interpretada por Miriam Gauci (e que ouvimos aqui por Renata Tebaldi)
Da ópera La Wally (Catalani), a personagem refugia-se nas montanhas nevadas do Tirol e canta as saudades da casa materna, de onde fora expulsa pelo pai, por recusar casar com um homem que não amava.
Jim morrera na neve, quando ia visitar a mãe, que não aprovava a sua relação com George.
Mas a neve não faz gelar os corações de quem ama.



Renata Tebaldi - Ebben? Ne andrò lontana


4 comentários:

underadio disse...

hum, must see it!

Saudações cordiais

godblessyouall disse...

Caraca... Já entrou pra fila.
Post tá lindo, by the way

Pedro disse...

Obrigado ;)

Raquel Fernandes disse...

Outra particularidade: O Tom Ford pediu a Firth que usasse o aftershave Creed's Bois du Portugal durante as filmagens para sentir melhor a personagem. Curioso, não?

Também não consegui escrever muito sobre este filmes apesar de o ter adorado. Talvez por isso... Gostei tanto que quis guardar para mim. Só saiu isto: http://raquelzinhafernandes.blogspot.com/2012/02/single-man.html