quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Do comprometimento

O único compromisso que tenho na vida é com um gato. Nem partidos, nem religião, nada. Mesmo o meu trabalho não é um trabalho normal, das nove às cinco, como os têm as pessoas normais. Com chefinho, com coleguinhas, com uma foto por cima da secretária.

O que me faz falta é comprometer-me. E eu não sei como isso se faz. Porque já o tentei e, uma vez mais, não fui capaz.

4 comentários:

Ana Alves Oliveira disse...

já te comprometes-te contigo mesmo?
depois disso, com os outros é fácil....

Ana disse...

o meu compromisso é comigo. acho que antes deste todos os outros são impossíveis.

ana disse...

o compromisso com outro nasce primeiro de um sentimento emocional de partilha de afectos, paixão, encantamento - chama o que quiseres- fazer disso depois o compromisso da vida quotidiana tem a ver com o querer partilhar os dias assim-assim e saber respeitar o espaço um do outro. Não é fácil, mas é possível e luta-se por isso todos dias. Vale a pena acredita.

Formiguita Bipolar disse...

Acho que se apostares nisso, lá chegarás... passo a passo, claro. O como, é que não sei, mas se é de relações que falamos, as cedências (de parte a parte) são sempre um bom ponto de partida.

Eu, comprometidíssima que sou com inúmeras coisas/pessoas, neste momento só me apetecia comprometer-me por tempo indeterminado com um destino paradisíaco.