quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

De como sou um privilegiado

Ontem, por motivos profissionais, conheci uma senhora, com quem passei a tarde. 89 anos de perfeita lucidez, apenas a visão a atraiçoa. Com uma sabedoria invejável, uma cultura acima da média e acima de tudo atenta e interessada pelo mundo que a rodeia. A prova disso, é o blog de crítica literária que escreve. Foram duas horas em que simplesmente me calei e limitei-me a ouvir. Saí de lá profundamente agradecido. Não porque a nível profissional o contacto tenha sido profícuo, que foi, mas sobretudo por ter tido a possibilidade absorver um pouco dessa centelha, por muito pequena que seja, que acredito que seja divina e que me encheu por completo. 

1 comentário:

Manuela Sá Carneiro disse...

.. o Mestre só aparece quando o Aluno está pronto.. :)