terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Cantigas d'Amigos


Um dos melhores álbuns de Amália Rodrigues vai ser finalmente lançado em CD. Com participação de Natália Correia (que transcreveu o cancioneiro medieval português para português moderno) e Ary dos Santos e com esta belíssima capa de Maluda, tem uma das minhas músicas preferidas de sempre. Com letra de D. Dinis.


Non sei oj', amigo, quen padeçesse 
coita qual padesco que non morresse, 
se non eu, coitada, que non naçesse, 
porque vos non vejo com' eu queria; 
e quisesse Deus que m' escaecesse 
vós que vi, amigo, en grave dia. 

Non sei, amigo, molher que passasse 
coita qual eu passo que já durasse 
que non morress' ou desasperasse, 
porque vos non vejo com' eu queria; 
e quisesse Deus que me non nembrasse 
vós que vi, amigo, en grave dia. 

Non sei, amigo, quen o mal sentisse 
que eu senço que o sol encobrisse 
se non eu, coitada, que Deus maldisse, 
porque vos non vejo com' eu queria; 
e quisesse Deus que nunca eu visse 
vós que vi, amigo, en grave dia. 

2 comentários:

Bookworm disse...

Epá, as dores de cabeça que tive com isto o ano passado em Literatura Portuguesa... Mas no fundo, até valeram a pena!

Pedro disse...

Claro que valem ;)