sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

O pavão albino



Um dos meus jardins preferidos é o do Museu da Cidade, ao Campo Grande. Parte integrante de um antigo palácio, gosto do seu ar aprumado, de buxos e sebes arranjadas entremeadas com fontes. Com ou sem intervenção da Joana Vasconcelos (embora prefira com, que gosto muito de Bordalo Pinheiro). Do pavilhão em vidro. Das sombras do arvoredo. E do meu pavão preferido - o pavão albino. Sempre que lá vou, procuro por ele. Acho-lhe graça. Como se tivessem esquecido de o pintar. A antítese daquilo que deveria ser. A exuberância majestática dá lugar à simplicidade. Não deixa de ser irónico. Neste dia, só o consegui fotografar de costas. A olhar em frente.

5 comentários:

marie disse...

Lindo!

hierra disse...

Por acaso já me cruzei lá com o pavão, e é mto bonito!

Speedy the Turtle disse...

nunca me tinha dado conta... tenho de ir à sua procura

Pedro disse...

É muito bonito, sim. Quem ainda não o viu, que o procure, que vale a pena

Clair de Lune disse...

Mas mesmo assim é magnífico.