terça-feira, 14 de agosto de 2012

Será assim?

Nas relações, sejam elas familiares, de amizade ou amorosas, há sempre desafios e nunca a forma correcta de fazer as coisas. E dúvidas de como agir em determinadas situações, muitas. Tantas quantas os desafios, porque não há nada que seja perfeito. Porque falamos de pessoas, com os seus defeitos, incapacidades, medos e todas essas coisas. Mas também ideias e gostos próprios. Nem sempre é fácil conciliar essas diferenças. Há quem seja apologista do amigo não empata amigo e faça cada um a sua vida, nos seus gostos próprios e singulares. E há também quem se sacrifique e esqueça os seus gostos próprios e se esforce por diminuir as distâncias e encurtar as diferenças.
Ora, quer-me parece que essa coisa de sermos livres e independentes, que é muito bonito no plano teórico, é capaz de não resultar muito bem no seio de uma relação. Porque as relações vivem disso mesmo. Chama-se compromisso. E se não há vontade para contornar as diferenças, nunca a compreensão será suficiente para as aceitar.


1 comentário:

Blackye disse...

É verdade. Temos que aprender a respeitar-nos uns aos outros, como pessoas diferentes que somos.