sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Isso do Panteão, no geral, e outras metáforas

Maarten Biesheuvel e Eva Biesheuvel-Gütlich, por Lia Laimböck, 2011
(pelos gatos, claro está)

Faz-me lembrar a história que a eminente professora de Literatura me contou, enquanto me fazia a visita guiada no Letterkindung Museum, em Haia, a propósito da minha pergunta acerca de qual o critério da escolha dos retratos de autores holandeses expostos permanentemente, exibidos numa das salas:

- "Sabe, segundo consta, quando se pensou na ideia de expor os retratos dos principais escritores holandeses, pediu-se a todos os escritores ou aos seus descendentes, que cedessem um quadro seu. Ao fazê-lo, qualquer pessoa que tenha escrito um livro, enviou alegremente um retrato seu. Posto isto, não havia como não exibir aqueles que, por qualquer outro critério, não devessem ser incluídos.

Agora que penso nisso, talvez tenha sido a única vez que a tenha visto rir.