quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O mundo está mesmo perdido

Durante muito tempo pensei que a culpa fosse dos marketers, publicitários, responsáveis pela comunicação, brand qualquer coisa ou lá quem está encarregue dessas coisas, não percebo nada disso, mas enganei-me, muito provavelmente a culpa é nossa, a dos consumidores. Ontem lá respondi a mais um inquérito acerca de hábitos de consumo acerca de uma marca de massas alimentícias, provavelmente preocupada com as novas dietas que por aí pupulam, que reduzem drasticamente a ingestão de hidratos de carbono e que devem fazer tão bem como sei lá o quê, a menos que a história da roda dos alimentos já tenha sido ultrapassada, antigamente a margarina é que era e agora o azeite é que sim, mudam-se os tempos e as vontades, mas bem não faz nenhum. Voltando ao inquérito, pelos vistos a marca já não se preocupa em ter um bom produto, uma boa apresentação, ser minimamente saudável (batatas fritas nunca serão uma alimentação saudável, mas sabem bem, desde que consumidas moderadamente), assente numa produção equilibrada e justa. Não. Pelos vistos, interessa-se sim pelo folclore. Se a marca se deve ou não associar a corridas, a programas televisivos de culinária, enviar chefs a casa a exemplificar receitas, ou a brand week em qualquer restaurante ou quiçá mesmo ser publicitada em qualquer blog nacional ou internacional. Enquanto houver gente a achar que este tipo de happenings interessa para alguma coisa, só porque tem uma vida de merda e todas estas coisas a fazem sentir um bocadinho melhor, está mais do que certo que a qualidade de qualquer produto vai ser inversamente proporcional ao seu preço e somos todos nós que continuamos a perder.


4 comentários:

Izzie disse...

Eu cá não sei, sou uma simplória e compro massas de marca branca, porque não entendo por que raio devo pagar o dobro por uma embalagem catita de marca anunciada na tv.

Caixa disse...

Hoje em dia as prioridades inverteram-se. Para muitas empresas, por exemplo, importa mais ter mais seguidores no facebook do que ter efectivas vendas; para muitas empresas importa mais aparecer numa entrevista do que ter um feedback positivo dos seus consumidores.

Enfim.

Fifi disse...

Infelizmente muitas pessoas associam a qualidade dos produtos à imagem da marca, o que, a meu ver, na maior parte dos casos uma coisa não tem nada a ver com a outra. Aliás eu acho sinceramente que quando um produto é realmente bom, não precisa desses folclores para nada, portanto desconfio sempre dessas coisas.

Namorado P.S. disse...

Secret Story e presenças das pessoas que participaram nesse "programa". E acho que não preciso de dizer mais nada.