domingo, 27 de abril de 2014

Lá num país cheio de doutores*

Não consigo perceber a necessidade das pessoas evidenciarem a sua relação com figuras públicas, não só mas sobretudo nas redes sociais. Dizer-se amigo de x ou y, só porque x ou y são figuras públicas, nada abona em favor do seu amigo, sendo um dado absolutamente irrelevante. Não que haja inconveniente algum em ser-se amigo de alguém - figura pública ou não, até porque, nos dias que hoje correm, difícil é não conhecer alguém que tenha tido os seus cinco minutos de fama. Porém, há uma diferença enorme entre dizer que o Fulano Beltrano lançou um livro ou que a minha amiga Tipa Sicrano lançou um disco.

*sim, a partir de um verso da música da abelha Maia, cantada na versão portuguesa pela Fernanda de Sousa, aka Ágata, que não é minha amiga. 


4 comentários:

Fifi disse...

Também nunca percebi a relevância de evidenciarem estas coisas. Dos outros amigos falam normalmente, mas quando falam do "amigo famoso" têm que dizer explicitamente quem é, como se não fosse uma pessoa como as outras. E o melhor é quando nem são assim tão amigos, mas para dar a entender que estiveram na presença de tal pessoa e talvez até tenham sido apresentados à mesma, lançam um "fulana x que por acaso é muito simpática!"... Why, o que é que isso interessa??!

Ricardo disse...

Também não percebo porque é que ser "figura pública" é um valor em si que deva ser evidenciado...

Lia disse...

Eu sou amiga do William Carvalho do Sporting, do Fredy do Belenenses e do Sergio dos Anjos. Se é importante? Não. Nem ando com cartazes a dize-lo... alias, mt pouca gente sabe.

Namorado P.S. disse...

Porque vivemos num país de parasitas e de favores.