domingo, 7 de dezembro de 2014



Daqui a pouco, vou à Catedral de Almudena para a vigília da Imaculada Conceição, coisa que, à partida, soa um bocadinho fascizóide, qual espera à Pátria. No entanto, queria assistir de perto à devotio espanhola. Não estamos em Sevilha, não é a Páscoa, mas é o que se arranja. E depois, digamos que tem graça ir celebrar a nossa Padroeira desde 1640, depois do fim da monarquia dual - ou da Restauração, como preferirem -  precisamente na capital do reino de Espanha, cuja padroeira também é Nossa Senhora da Conceição.

(e espero sinceramente que isto não seja tipo vigília pela paz, em que as pessoas ficam trancadinhas no interior da Igreja pela noite fora, na véspera de 1 de Janeiro...)

1 comentário:

Miú disse...

Acenda uma velinha por mim, mas das de longa duração por favor. Perante o ignoto e o imponderável, todas as ajudas são bem-vindas.