quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Há algum tempo que não falava em parábolas


No outro dia, ao passar por uma passagem estreita, deparei-me com um ramo de árvore caído, obstruindo a mesma. Nem pensei duas vezes; limitei-me a contornar o dito ramo e seguir viagem. No mesmo dia, ao regresso pelo mesmo caminho, reparo que o ramo continuava lá, mas não no mesmo sítio, possibilitando a passagem. Alguém o tinha removido, permitindo a sua passagem e, consequentemente, a dos outros. 

Não acredito que o esforço em remover o ramo tenha sido maior do que um simples desvio.

1 comentário:

Esmeralda Martins disse...

Também não acredito, aliás, o esforço consiste em solucionar os problemas, o contorno que lhe damos é apenas o resultado desse esforço.
Mimos;
(gostei)