segunda-feira, 13 de julho de 2015

Porque o Natal está quase, quase aí


Na verdade, não compreendo por que razão insistimos tantos em manter relações que já não existem. Não estou a falar daquelas relações de amizade que, por motivos diversos fazem com que os encontros se tornem cada vez menos frequentes. Refiro-me aquelas pessoas, que tendo sido outrora importantes para nós, só aparecem para nos dar os parabéns e desejar um bom Natal. Fico a pensar porque é que insistimos sempre em agradecer a simpática SMSzinha, de quem se lembra sempre de nós. Duas vezes por anos, é certo, mas lembra. Da minha parte, continuem a ser as boazinhas. Não me importo nada de ser o mal-educado que não agradece os parabéns e os votos de  um feliz Natal. 

2 comentários:

silvestre disse...

não agradeço votos natalícios. nem os desejo.
já os parabéns acho bem agradecer. mesmo que seja um simples obrigado. Mas com a história do FB só vem parar ao telemóvel quem interessa.

Marisa Maria disse...

há uma ex-colega que teima em fazer isso quando o resto do ano vira-me a cara na rua e ainda não sei como é que não a mandei à merda, porque irrita-me mesmo