quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Do passe-vite

Estive a passar sopa no passe-vite. Geralmente uso só a varinha mágica, mas quando as verduras são mais fibrosas que o habitual, passo também pelo passe-vite (se tivesse chinês, era por onde passaria).

E hoje tenho a certeza de que o ouvi gritar: "- Lagarto, lagarto, lagarto", vezes sem conta. Mas olhei para trás e não vi nada. Se calhar enganou-se.

4 comentários:

JS disse...

Não percebi nada...

Adão disse...

Somos 2. Quem é o chinês? :s

F. disse...

Ora bom, o chinês também é um tipo de passador, mas mais afunilado na ponta do que o passe-vite. :)
Tem graça falares disto aqui. Fez-me lembrar as "tardes culinárias" que passava com a minha 'vó Elisa.

Pedro disse...

É natural que não tenham percebido, porque os passe-vite não falam. Já no meu mundo...

F.: é exactamente isso! E passa ainda mais ralo! Boas memórias, estou a ver!