domingo, 3 de maio de 2009

Ouvido na rua

Ikea, sábado de manhã, um mar de gente (três pessoas iludidas, pensando que tinha ido toda a gente para fora).

Senhora para o marido, casa dos 60, acabadinha de chegar da terra: - Ai, ai, tu não me deixes aqui sozinha, que eu tenho medo.

E eu também, que aquilo pareciam bichos. Nas bichas. Ainda bem que há crise!

4 comentários:

GmbH disse...

Acontece o mesmo aqui. Existem TRÊS Ikea em Londres e estão SEMPRE apinhados de gente, faça chuva ou faça sol, em qualquer dia da semana...

Formiguita Bipolar disse...

Fosse só a corrida ao IKEA! Eu tenho para mim que as pessoas já não sabem viver sem consumir mais do que o "recomendável", e mais nada. Há 15 anos atrás (e isto não quer dizer que vivêssemos melhor nessa altura - simplesmente a fartura - incluindo de créditos ao consumo - não era tanta) as pessoas tinham outro modo de estar na vida. Agora há quem compre um serviço de jantar hoje e fique triste daí a duas semanas por não poder comprar um dos outros que a loja entretanto recebeu, numa manobra evidente para fomentar o consumismo gratuito.

(Isto dito por alguém que gosta muito de abrir a carteira para comprar "coisas"; Como em tudo na vida, também neste aspecto a ponderação e o equilíbrio são a chave.)

David disse...

O Ikea (e as superfícies comerciais - quanto maiores melhor - em geral) são o Ópio do povo.

Pedro disse...

GmbH: acredita que como aquilo estava no sábado, eu nunca tinha assistido!

Formiguita: o problema é - e a quem vão eles oferecer um jantar?!?

David: mas o Ikea dá para fumar?