quinta-feira, 19 de abril de 2012

E diz que em Maio

foto daqui.


vou andar por aqui. Não invejem. Vão ser 6 dias de trabalho, com 9 mulheres loucas, segundo consta. Contarei depois, se sobreviver. Até lá, aceitam-se sugestões e dicas e assim, sendo que não devo sair de Haia.

14 comentários:

Raquel Fernandes disse...

Invejo tudo que implique sair do Vale do Ave!

Alexandra disse...

Se precisares de uma décima mulher louca, avisa!

Scarlett disse...

http://dreamsandbutterfliesgossip.blogspot.pt/

http://wonderland4you.blogspot.pt/

http://www.facebook.com/pages/Wonderland/221603817947313

Jibóia Cega disse...

Como é que vais dividir 9 loucas por 6 dias? Não dá número inteiro.

Mr Goldfish disse...

Eu cá não sou de intrigas mas contaram-me que, embora mais habitável que Glasgow, Haia é uma morte lenta. No entanto, a existência de nove loucas à solta só prova que tudo aquilo não passa de boataria da pior espécie...

Pedro disse...

Em Junho vou estar em Vila Real. Já é fora do Vale do Ave, já conta? :P

Pedro disse...

Trocava-te por todas as outras e íamos passear - isso é que era!

Pedro disse...

(ali a loucura é em mau, infelizmente)

Pedro disse...

Na verdade vão ser 8 dias, sendo que só seis é que serão de trabalho - ainda assim fica uma de fora. Lá terá de ser tudo ao molho e fé em Deus (também não tenciono dar conta do recado com senhoras que podiam ser minhas mães ;))

Pedro disse...

Ainda me hás-de dizer que cidades é que valem a pena (mas sim, ouvi dizer o mesmo). Infelizmente não são loucas dessas, porque se fossem, estava eu bem...

Raquel Fernandes disse...

Mmmmm...

Alexandra disse...

:)

Helena disse...

Eu gostei muito da Mauritshuis (isto, ou algo do género). Era o Maurício de Nassau (o que "nos" roubou bocados do Brasil...) (isto sou eu a brincar, não leves a sério) e é giro ver na casa dele pinturas dessa época que também tocam na nossa história. A colecção de pinturas é fantástica - por exemplo, a sala Vermeer. Gostei muito do guia áudio do museu.
Também tem muito Mondrian, de fases muito diferentes (o que torna a colecção realmente interessante) no Gemeentemuseum.
E parece que também tem Escher, mas a esse museu não fui.
De resto, tem lá um parque com árvores de ramos frondosos até ao chão, abrindo arcos como catedrais, mas tinha de te ensinar o caminho para lá. E tem as praias, claro. Uma passeata de bicicleta até à praia, e comer lá um daqueles crepes horrivelmente caros, mas pronto, uma vez não são vezes.
(Mas já sabes isto tudo, não?...)

Voltei a cair no vício: ai esse Craig Armstrong...

Pedro disse...

Obrigado! Algumas sabia, mas mais não fosse, confirmam-se. Isto de sugerir pontos de atracção tem o seu quê de perigoso. Lembro-me de em Londres toda a gente dizer para fugir do Victoria & Albert, que adorei - tudo porque gosto de artes decorativas, ao contrário da maior parte das pessoas.
O Mauritshuis estava fechado, mas parte da colecção foi para Gemeentemuseum. E sim, foi a minha parte preferida