sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

O hábito não faz o monge


Nunca percebi o fascínio das pessoas com aqueles cadernos, geralmente de capa preta, geralmente carotes, conhecidos por terem sido os escolhidos por escritores famosos. Nunca lhes ouvi gabar as capas duras, as folhas grossas, o elástico que permite fechá-lo sem deixar cair as folhas soltas que nele se guardar. Não é o mimetismo que lhes irá fazer escrever melhor.

4 comentários:

Na Província disse...

Também são os meus preferidos e gosto por ter as folhas grossas, as escrever não marca as folhas seguintes, têm o tamanho ideal e elástico permite que possamos guardar olhas mais pequenas no meio e não se perdem!

Isa disse...

amooo, por causa das cores, da espessura das folhas, pelo facto de terem linhas. E isso de ser caderno de famosos já se descobriu que é mito, uma falácia para vender, e conseguiram... muito por causa disso, as pessoas têm esperança que a coisa lá vá por osmose, como se eu tocar no Cristiano vou poder ser famosa como ele :D

Horatius disse...

Olha, não sabia que era caderno de famosos. Mas gosto muito deles por causa das razões que enumeraste...

Vânia Martins disse...

Eu adoro justamente por causa dos elásticos que não perdem a força. Uso as agendas daily daiary e várias vezes já andei à procura de outras que se assemelhem e sejam mais baratas, mas não encontro.